quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Dilma diz ter apoio 'moderado' a Camilo Santana e Eunício Oliveira

Dilmag
A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, tentou evitar, durante entrevista coletiva à imprensa, questionamentos de jornalistas sobre apoio dela às candidaturas de Camilo Santana (PT) e de Eunício Oliveira (PMDB) ao Governo do Estado do Ceará.
Dilma foi perguntada se pediria votos para o petista em solo cearense, mas manteve o silêncio e entrou em outro assunto. Após um novo questionamento, a candidata admitiu ter dois apoiadores no Estado e disse ter atitude 'moderada' com relação às candidaturas de Camilo e Eunício.
A postulante à reeleição gravou programas eleitorais na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) e visitou um residencial no bairro José Walter, que foi construído por meio do programa Minha Casa Minha Vida.
Confira a resposta da presidente sobre o apoio a Camilo e Eunício:
Mais cedo, em entrevista ao Blog Política, Camilo Santana, que não esteve junto da candidata durante rápida passagem no Estado, disse que não seria 'empecilho' para a Dilma em solo cearense.
O meu desejo é a eleição dela e isso está acima de qualquer questão local”, afirmou o candidato. Ontem, ele negou haver constrangimento em razão da ausência dele na agenda da presidente, durante a realização de uma carreata em Messejana.
"Minha Casa, Minha Vida" defendida
Em entrevista coletiva, concedida em frente ao conjunto habitacional Cidade Jardim, Dilma defendeu o subsídio e se opôs aos demais candidatos que são contra o apoio monetário oferecido pelo "Minha Casa, Minha Vida".
"Dois candidatos estão contra os subsídios, mas não tem milagre que faça uma família que ganha R$ 800 de rendimento pagar prestações de R$ 940 para comprar uma casa como a que é oferecida pelo programa. Aqueles que diziam que defendiam a prática são contra e querem acabar com o programa habitacional", afirmou Dilma Rousseff.
A candidata à reeleição da Presidência também afirmou que "todas as classes ganharam nesses últimos 12 anos de governo" e reforçou que "os pobres ganharam mais porque precisam mais". 
"Assim como mulheres têm a Lei Maria da Penha porque estão mais sujeitas à violência, mas isso não quer dizer que os homens não estão sujeitos à violência e que não devemos nos preocupar com a segurança deles, mas as mulheres precisam mais", comparou Dilma Rousseff.
Dilma promete mudanças
Com relação à política econômica, alvo de críticas por parte dos adversários da petista na corrida presidencial, Dilma deu como certa mudança na equipe. "Governo novo, equipe nova", disse. Sobre a saída de Guido Mantega, a presidente tentou desviar o assunto e justificou em tom de piada o porquê de não revelar qualquer nome para cargos ministeriais. "Isso pode dar azar", brincou.
Confira vídeo da visita da presidente à Fortaleza:


Fonte: DN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os Comentários desse Site são de Total Responsabilidade do Visitante !
Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria, caso contrario será excluído.