terça-feira, 9 de setembro de 2014

“NÃO DAREI À IMPRENSA UM CARÁTER QUE ELA NÃO TEM”

BRASIL 247 - A presidente Dilma Rousseff reafirmou nesta segunda-feira (08) ter determinado ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que pedisse à Polícia Federal "informações oficiais" sobre suposto envolvimento de algum membro do governo no esquema denunciado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Ela declarou que então poderá "tomar todas as providências baseadas em informações oficiais". "Caso o Ministério Público não possa me responder, vou pedir ao STF", anunciou Dilma.
Em sabatina realizada pelo jornal O Estado de S. Paulo, a presidente, candidata à reeleição pelo PT, disse também que não dá à imprensa "um caráter que ela não tem", em alusão à denúncia feita pela revista Veja no fim de semana, que citou o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, como um dos beneficiados no esquema de corrupção da estatal. "Se ela (a pessoa) estiver comprometida, é afastamento", defendeu Dilma. "É prudente saber se isso é verdade. A própria revista que divulga os fatos não diz da onde tirou nem como tirou".
"É uma coisa engraçada. Um órgão da imprensa sabe as informações, e nós, que somos os acusados, não sabemos. Isso é inadmissível. Eu não quero dentro do meu governo quem esteja envolvido. Mas não quero dar à imprensa um caráter que ela não tem diante das leis brasileiras. Eu quero a informação a mais aprofundada possível", ressaltou. "É possível ficar divulgando sem a Justiça homologar a delação premiada?", questionou, acrescentando que as acusações de Costa têm que ser apuradas. "Porque quem faz delação pode não gostar de uma pessoa e acusá-la e proteger uma outra que é mais culpada. É possível que haja informações em controversa".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os Comentários desse Site são de Total Responsabilidade do Visitante !
Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria, caso contrario será excluído.