domingo, 19 de outubro de 2014

Confira o debate entre Eunício Oliveira e Camilo Santana na TV O POVO

O primeiro debate entre os candidatos ao Governo do Estado, Camilo Santana (PT) e Eunício Oliveira(PMDB), no segundo turno, foi marcado por ataques mútuos e cobranças sobre a relação com o atual governo. Os candidatos destacaram promessas nas áreas de Educação, Segurança e Cultura.

Os candidatos, no primeiro bloco do debate, responderam perguntas sobre Educação e Segurança Pública, respectivamente. Em meio às respostas, Camilo, sem se referir diretamente ao adversário, criticou demagogia; já Eunício Oliveira acusou o petista de não falar a verdade sobre escolas de tempo integral.



Ruy Lima - Quais ações seu governo adotaria para melhorar a qualidade dentro da sala de aula?

Camilo Santana - Eu tenho compromisso com a Izolda (vice) para levar a escola de tempo integral para todo Estado. O Ceará não tinha uma escola profissionalizante, hoje atendemos muitos alunos, com estágio pago pelo governo. Eu não tenho dúvida que esse é o melhor modelo [...] De 2011 para 2013 aumentamos de quatro mil para 11 mil alunos na escola. 

Eunício Oliveira - A escola de tempo integral não aconteceu no Ceará. O Ceará tem hoje apenas 10 % na escola pública. Quero botar escola de tempo integral verdadeira. Fazer aquilo que é necessário, complementar a escola com lazer e cultura.

Camilo - Na escola de tempo integral, o aluno faz o ensino médio, o curso profissionalizante e uma série de atividades, ele faz esporte, brinca. Hoje o Ceará é referência no Brasil, esse é o modelo que defendemos. Vou criar o centro de língua estrangeira em cada regional, pois isso é exigido cada vez mais no mercado de trabalho. Tratamos a educação não com demagogia, com simplificação, mas com seriedade.

A segunda pergunta foi para o candidato Eunício Oliveira. O tema foi segurança pública.

Ruy - O Ronda foi a grande vedete das campanhas, mas sofreu várias mudanças. Como ele seria estruturado no seu governo?

Eunício - Há um distanciamento imenso entre as duas polícias, Militar e Civil. O Ronda foi criado como uma terceira polícia e não resolveu a questão da violência. Estamos em uma das cidades mais violentas do mundo, temos cerca de 60 mil mandatos de prisão que não são cumpridos. O que vemos é pessoas de bem trancadas dentro de casa. Não foi dado às polícias a oportunidade de fazer os seus trabalhos. As polícias foram desintegradas

Camilo - Não podemos tratar essa questão com demagogia, mas com responsabilidade. Vamos ampliar as equipes do Raio, precisamos de uma Polícia mais ostensiva. Vamos colocar 100% de câmeras em áreas mais críticas de Fortaleza. Vamos integrar com ações sociais e fazer uma grande mudança na Polícia. A polícia trabalha desestimulada e eu quero aprovar incentivo a ela.

Eunício - O Camilo não diz a verdade ao espectador. Quando ele fala parece que as coisas são feitas no Ceará, parece que foi feito e que o governador não é o Cid. Por que não resolveu a questão da Polícia? Ampliar o Raio para o Interior, porque demorou tanto tempo? Porque em vez de comprar helicópteros caros não fez isso? Eu vou cuidar disso pessoalmente como governador. 

Segundo bloco
O segundo bloco do debate no Grupo de Comunicação O POVO teve perguntas diretas entre os candidatos a governador do Ceará que disputam o segundo turno. Eunício Oliveira (PMDB) perguntou se Camilo Santana (PT) está satisfeito com a saúde pública no Estado. O petista destacou as mudanças introduzidas pela gestão Cid Gomes (Pros). “No passado, única política de saúde pública era comprar ambulância e doar para os municípios”.
 
Eunício - O senhor está satisfeito com a situação da cidade, em termos de saúde?

Camilo - No passado, a única política de saúde que o Estado tinha era comprar ambulância, doar para os municípios e, se alguém ficava doente, mandava para ser atendido na Capital. Você conhece essa realidade. O Ceará vem tentando construir uma rede de atendimento que antes não tinha. Eu, como candidato, sei que o cearense ainda está muito longe de ter qualidade do serviço que merece. Vou criar seis policlínicas em Fortaleza. E essa experiência tem dado muito certo no Interior, já são 19 policlínicas que têm sido referências. As UPAs 24 horas já atenderam mais de um milhão de pessoas. Claro que não está tudo bom, mas vamos avançar ainda mais.

Eunício - Talvez Camilo não goste das estatísticas quando são contrárias ao que ele propaga. Estamos em um estado entre os piores da saúde. O que foi feito bem feito vou preservar, mas o que está mal feito vou modificar. O Ceará, hoje, não tem condições de atender à população, vejo o drama das mães que precisam ser atendidas. Essa falácia de que está tudo bem, que vou mudar, porque não fez nos últimos anos?

Camilo – Quero dizer ao candidato que ninguém muda as coisas em quatro anos. Não muda, Eunício. Acho que você nunca foi numa UPA, sei nem se você conhece o Hospital Regional do Cariri, se já entrou lá ou foi num posto de saúde. Você não pode confundir atendimento de saúde no município com o do Estado, o Estado não tinha equipamento nenhum. Você está faltando com a verdade porque eu nunca disse que estava tudo bom, ao contrário. Eu tenho dito que foi feito um grande esforço nos últimos sete anos que eu vou ampliar. Sou candidato para garantir tudo de bom, que os hospitais funcionem em boas condições. Além disso, vou criar um sistema para a população dar nota para saúde e dar um incentivo para os melhores exemplos.

Camilo - Metade de população tem menos 30 anos, são jovens formados que precisam ser atendidos pelo mercado. Qual sua proposta de emprego para o Ceará?

Eunício - Tem que ser qualificado, escuto a propostas do Camilo e são sempre para depois, para o futuro. Ele diz que as coisas boas ele que fez, mas é preciso que ele saiba que temos 1.500 jovens que nem trabalham nem estudam. Que emprego de qualidade que ele tanto fala no Porto do Pecém não atende o Interior do Cariri. É preciso atenção para todos os municípios do Estado. Se não trabalha e não estuda, está muito errado. No Ceará, há oito anos, cerca de 20% tinha carteira assinada e esse número caiu muito, porque não qualificaram nossos jovens. É preciso que fique claro para os eleitores as promessas nessa época são muito vazias, quero ver quem está no poder e não deu essas oportunidades. Eu vou dar oportunidade para esse jovem.

Camilo - O Ceará, hoje, é exportador de energia, isso vai ser um eixo para que empresas se instalem no Interior do Estado e gerem empregos. Já imaginou termos uma automobilística no Ceará? As escolas profissionalizantes são exatamente para preparar esses jovens. Eu não sou governador, quero ser para implementar.

Eunício - Camilo sempre coloca que vai fazer, mas um pólo metal-mecânico não vai se expandir. Como governador, vou instalar vários distritos industriais para garantir emprego de qualidade para os jovens, o que não foi feito nesses anos. 

Terceiro bloco
 
Camilo - Eu assumi um compromisso de destinar 1,5 do orçamento do Estado para a Cultura, sou o único candidato que tem um comitê para discutir essa política cultural, o olhar que tenho não é setorial, é transversal.

Eunício - Não é verdade quando o senhor diz que foi único que se comprometeu. O senhor diz que vai fazer eventos culturais, mas o meu questionamento é por que não foi feito durante oito anos? A cultura cearense foi completamente desprezada. Eu tenho condições de assumir esse compromisso. Eu não tenho padrinho político. Eu tenho apenas o povo, se ele me der essa oportunidade para governar, reverter o desprezo à cultura, que ocorre atualmente.

Camilo - Além de fazer concurso para secretário de Cultura do Estado, também vou criar espaço no Interior. Nunca vi você falar que vai assumir compromisso. É uma contradição muito grande a você, Eunício, porque até quatro meses atrás você dizia que esse era o melhor governo do mundo, você dizia que o governador Cid era o melhor governador da história desse Estado. Como é que se muda? Você indicou vários cargos para esse governo, inclusive o secretário-executivo da Segurança Pública, seu correligionário Aloísio Carvalho, indicou o secretário de recursos hídricos. Que contradição é essa? Reflitam, cearenses. 

Eunício - Candidato Camilo, o senhor está muito agressivo hoje. Eu saí do governo, porque o PMDB tem condições de fazer essa disputa e fazer uma mudança no Ceará. Se eu quisesse permanecer no governo e elogiar, eu estaria aí. O senhor que é o candidato do governo e que vai dar sequência ao que temos hoje. O senhor fala em diálogo e em dobrar orçamento para Cultura, isso não é verdade, porque não fez antes?

Camilo - Fiz uma campanha limpa, mostrando proposta, que é o que interessa. Eu sou de uma geração jovem, que tem esperança. O que interessa ao debate são as propostas, Olho pra sua cara e digo que tenho orgulho de fazer parte desse governo. Muita coisa boa aconteceu no Ceará nos últimos sete anos, batemos recorde de emprego. Parece que o Eunício não sabe os dados do Ceará. Recentemente o Ceará foi o Estado que, nos últimos doze meses, mais gerou emprego no Nordeste. Nós criamos a maior rede de escola profissionalizante, estamos hoje com a maior rede de equipamentos públicos do Estado. Não tínhamos nada disso anteriormente. Isso quer dizer que está bom? Não está bom, por isso sou candidato. Eu fui secretário, conheço o Ceará, talvez você que mora há muito tempo fora do Ceará talvez não conheça mais realidade do Ceará, mas eu fui secretário do campo e fui secretário das Cidades, conheço de ponta a ponta esse Estado. Fui eu sim, como secretário das Cidades, que botei o programa Minha Casa Minha Vida para funcionar no Ceará, éra o penúltimo lugar aqui no Ceará. Olhe as obras no Crato, em Quixadá, Quixeramobim. Estou tranquilo, tenho um lado, mas sou candidato para corrigir o que não está bom. 

Eunício - Estou aqui para discutir as questões de interesse do Estado, não tenho chefe para obedecer. A cada duas horas, um cidadão é tragado pela violência, você fala em aparelhos perfeitos para a população? E a saúde? O sarampo, por exemplo, não foi erradicado. Essa é a saúde pública que vocês entregaram para a população e querem continuar fazendo.

Camilo - Vim aqui pra mostrar minhas propostas. Talvez, Eunício, você esteja assim porque quando foi procurar o governador Cid querendo ser o candidato dele e ele não aceitou, aliás, disse publicamente os três motivos dele porque não lhe apoiava. Talvez você, que ficou durante sete anos elogiando o governo, agora esteja com esse posicionamento. Nunca pedi pra ser governador, fui escolhido por mérito, trabalho, pela minha historia, fui escolhido por 18 partidos, pela presidente Dilma e pelo Lula. Estamos fazendo muita coisa para garantir o futuro dos nossos jovens e das nossas crianças.

Quarto bloco
 
Eunício - O senhor acha certo usar dinheiro do Fecop (Fundo Estadual de Combate à Pobreza) para se apropriar de casas e criar cargos em agências para doar para aqueles que não foram eleitos na chapa majoritária da eleição passada?

Camilo - O dinheiro do fundo de combate à pobreza é utilizado para cuidar dessas questões de pobreza. Desconheço e nem é real o que o senhor está dizendo. Somos pioneiros no Brasil nessa área. Não fui governador, fui secretário, tive autonomia para criar bons projetos, como a regularização fundiária das propriedades rurais do Ceará que tiveram esses recursos. Para garantir casa, moradia digna. Hoje temos 58 mil unidades.

Eunício - O dinheiro do Fecop foi utilizado e você não sabe, por que quando é conveniente você sabe tudo e quando não é você não sabe nada. O garantia safra foi ampliado por esse parlamentar, mas esses recursos que você fala tanto foi dinheiro de empréstimos. 

Camilo - O dinheiro do Fecop está sendo exatamente para o Minha Casa Minha Vida. Meu irmão cearense, você que vivia debaixo d’agua e já recebeu sua casa, nós construímos mais cinco mil unidades habitacionais. Você precisa conhecer a realidade do Interior do Ceará. Eu quero fazer mais se tiver seu voto. Sou do diálogo, o MCMV tinha baixa execução, chamei a Caixa, chamei comitê e agora somos referência nesse setor. 

Camilo - Pensamos em infraestrutura, em energia, em água... O Ceará é importador de energia. Para ter uma siderúrgica, uma refinaria, precisava de energia. E 36% dessa energia é eólica, renovável. Qual sua proposta para avançar nisso?

Eunício - Volto a dizer o que disse anteriormente. Ele sempre coloca que fez tudo, inclusive a refinaria no Ceará... Eu ando muito no Interior. Talvez você não saiba que sou parlamentar que fui escolhido várias vezes como um dos mais atuantes do Congresso Nacional, que fui escolhido recentemente como melhor senador do País, isso não é vaidade pessoal. Talvez não seja a vaidade pessoal que você fala, que você insinua dessa candidatura livre e que nasce da vontade do povo do Ceará e não da vontade de um padrinho político que tem em você um homem dócil que não vai criar nenhuma dificuldade, que vai obedecer todas as ordens. Eu não fui escolhido porque eu não seria dócil o suficiente como você para cumprir ordens de um chefe que vai continuar chefiando o Governo do Estado. Eu pergunto como vai ficar esse Estado, eu lutei pela refinaria de Petróleo, para que ela viesse para cá. Você distorce sempre os fatos para conquistar votos e não dizer pra mim, no olho no olho, a verdade.

Camilo - Eu fui secretário durante sete anos. Meu irmão, você que recebe garantia safra, que tem uma cisterna de placa, que recebeu seu título da terra, sabe do que estou falando. Na vida a gente, primeiro, tem que ter lado, uma postura ética, parece que você está desesperado, vamos fazer o debate em cima de ideias. Eu fiz uma pergunta que você nem respondeu, já vem atacando, eu perguntei você sobre energia renovável

Eunicio - Eu sei que a eólica é energia limpa e que o Ceara é grande produtor, estou apenas recolocando a verdade dos fatos. Você era secretário das Cidades, não trouxe para o Ceará isso que você diz que trouxe e que diz que fez na sua campanha. Ele diz que vai modificar, vai não, telespectador! Ele vai dar sequência ao que está aí.

Último bloco - considerações finais

Camilo - Eu quero agradecer ao Grupo O POVO o povo e me dirigir a você eleitor. Estamos a sete dias de decidir o futuro do Ceará. Procurei fazer uma campanha limpa, em cima de ideias. Quero que você reflita sobre quem está mais preparado, primeiro para garantir tudo de bom do Ceará, como as escolas profissionalizantes, as UPAs...Quero melhorar aquilo que está bom e cuidar do que não está. Vou olhar com muita garra para você eleitor se sentir mais seguro. Conto com apoio do Cid Gomes, da presidente Dilma. Peço o seu voto para garantir que o Ceará continue avançando. Obrigada e um forte abraço.

Eunício - Quero agradece ao Grupo O POVO e ao Camilo. Quero dizer ao cearense que não tenho patrão, não tenho chefe, tenho que dar satisfação somente à você eleitor. A eleição vai se decidir entre eu e Camilo, e quero dizer ao eleitor que agradeço a forma carinhosa como tenho sido recebido. Peço a confirmação no 15 de Eunício Oliveira para que tenhamos um novo jeito de governar, com diálogo com a sociedade. Quero oferecer a minha independência, meu patrão político é o povo.
Redação O POVO Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os Comentários desse Site são de Total Responsabilidade do Visitante !
Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria, caso contrario será excluído.