terça-feira, 17 de março de 2015

MENORES INFRATORES ATEIAM FOGO E DESTROEM CENTRO EDUCACIONAL NO PASSARÉ


Os jovens queimaram colchões e criaram barricadas para evitar a entrada do Batalhão de Choque. Eles ainda tentaram fazer os instrutores reféns, mas não conseguiram.

Adolescentes em conflito com a Lei destruíram o Centro Educacional São Miguel. no Passaré, durante uma rebelião. A situação começou no fim da tarde desta segunda-feira, 16, quando os internos atearam fogo nas salas.
Segundo o titular da 5ª Vara da Infância e da Juventude de Fortaleza, juiz Manuel Clístenes de Façanha e Gonçalves, os jovens destruíram grande parte do Centro Educacional que abriga cerca de 230 adolescentes. 
Ainda de acordo com o magistrado, os jovens tentaram fazer instrutores de refém, mas não obtiveram êxito. O juiz Manuel Clistenes informou que alguns instrutores tiveram ferimentos leves, mas não soube informar a quantidade.
A cozinha da unidade também foi destruída pelo fogo. O ataque foi motivado pela superlotação. Conforme informou Manuel Clístenes, O Centro Educacional São Miguel possui estrutura capaz de comportar 60 internos, mas o número está em torno de 230.

Após a destruição, a preocupação do juiz é de como serão abrigados os adolescentes em conflito com a lei. "Tem três centros educacionais interditados e três com a capacidade estourada. O São Francisco está com 220 e tem capacidade para 60 e o Passaré está com 200 e tem capacidade apenas para 90. Aqui vai ficar em uma situação difícil, não tem como transferir, pois o Estado ainda não entregou as outras unidades, como a do Canidezinho. O sistema está em colapso e sobrecarregado, toda semana tem rebelião e fuga, não tem como resolver a curto prazo, é preciso uma intervenção urgente. Um a um estão sendo destruídos", explica.


Conforme informou o oficial do Batalhão de Choque, tenente PM Frota Gomes, o BPChoque foi acionado para dar apoio, pois os adolescentes teriam tomado o local ateando fogo e danificaram o estabelecimento. "Já foi normalizado. Eles danificaram o estabelecimento, viemos e tomamos o local. É feita a contagem e ainda tem muita fumaça, os adolescentes estão sendo colocados nas celas em que há condições de permanecer", explica.

Ainda na ação, os jovens teriam construído uma espécie de barricada dentro das salas, com objetos ainda em chamas, no intuito de evitar a entrada do BPChoque.
O tenente ainda informou que o Policiamento Ostensivo Geral (POG) fez o cerco na parte externa do centro para evita uma fuga em massa e o Choque entrou no local.

Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os Comentários desse Site são de Total Responsabilidade do Visitante !
Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria, caso contrario será excluído.