sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Bancários encerram greve no Ceará e atividades serão retomadas nesta sexta

Resultado de imagem para bancarios em greve
Após 31 dias de paralisação, os bancários decidiram encerrar a greve em todos os bancos do Ceará, quinta-feira, 8. A proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste nominal de 8% nos salários e abono de R$ 3,5 mil foi aceita pela maioria, conforme o Sindicato dos Bancários do Ceará. O trabalho em todas as agências será retomado a partir desta sexta.

O presidente do Sindicato dos Bancários, Carlos Eduardo Bezerra, explicou que a resistência do movimento grevista resultou em ganho real para a categoria. ''Conseguimos o aumento de 10% no vale refeição, 15% no vale alimentação, licença paternidade de 20 dias para os bancários e um programa que encarece as demissões para o sistema financeiro".

O fim da greve foi sendo votado, em cada banco, no decorrer da assembleia. Os bancários das unidades privadas foram os primeiros a aceitar o encerramento da greve, que depois também foi aceito pelos funcionários dos bancos públicos, como Caixa Econômica e Banco do Brasil.

Carlos Eduardo informou ainda que os bancários terão anistia total pelos dias de paralisação. "Nenhum bancário vai precisar compensar nenhuma hora trabalhada, e isso levou os bancários a acompanhar a movimentação. Mais de mil bancários estiveram na votação", disse.

As atividades de 208 agências bancárias, de um total de 259 unidades em Fortaleza, ficaram paralisadas desde o início da greve, deflagrada no último dia 6 de setembro. Até quarta-feira, 5, o Comando Nacional de Greve dos Bancários rejeitou, pelo menos, duas propostas da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

A primeira proposta era reajuste de 6,5% de no salário, no dia 5 de setembro. Quatro dias depois, a Fenaban ofereceu reajuste de 7% mais abono de R$ 3,3 mil a serem pagos em até dez dias após assinatura do acordo. A proposta foi mantida novamente no dia 15, mas foi rejeitada pela categoria.

Em todo o Ceará, a greve contabilizou 76% das agências fechadas no Estado, o que representa 430 unidades paradas, em um total de 562. A paralisação afetou, principalmente, as pessoas que não tinham acesso à Internet e muita desenvoltura com os aplicativos de telefone celular. Essa foi uma saída dos usuários para realizar transações financeiras durante a paralisação. Em alguns casos, chegou a faltar dinheiro em caixas eletrônicos da Cidade, como foi publicado no O POVO.


Redação O POVO Online

0 comentários:

Postar um comentário

Os Comentários desse Site são de Total Responsabilidade do Visitante !
Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria, caso contrario será excluído.