terça-feira, 20 de novembro de 2018

Governo do Ceará discute a utilização do biogás no transporte público em seminário

O evento contou com a presença da vice-governadora Izolda Cela, que se reuniu com representantes do Governo da Suécia, país referência na implantação da cadeia sustentável. A discussão sobre como implementar uma logística sustentável para os transportes urbanos em Fortaleza marcou a abertura da 7ª edição das Semanas Inovação Suécia-Brasil, nesta segunda-feira (19), no auditório da Companhia de Gás do Ceará (Cegás). Foi realizado na ocasião o seminário “Biogás: uma cadeia sustentável para o transporte público”.

Estiveram presentes à mesa a vice-governadora do Ceará, Izolda Cela, o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, o diretor-presidente da Cegás, Hugo Figueiredo, o vice-ministro da Indústria e Tecnologia da Suécia, Niklas Johansson, o embaixador da Suécia no Brasil, Per-Arne Hjelmborn, o diretor de Assuntos Governamentais da Scania, Gustavo Bonini. Participaram do momento autoridades políticas locais e profissionais do segmento de Gás e Energia.

Para Izolda Cela, o plano de usar o biogás no transporte público representa uma inovação na preservação do meio ambiente e deve colocar o Ceará como um exemplo para todo o Brasil.

“Isso é uma das coisas mais promissoras que os compromissos de um governo podem assumir. Trata-se exatamente de transformar aquilo que hoje representa problema seríssimo, poluição, conflitos entre desenvolvimento e sustentabilidade. É redefinir essa cadeia que hoje é viciosa para um circuito virtuoso em que o lixo, por exemplo, o esgoto, os resíduos da agricultura, simplesmente se transforme em energia, que vai ser utilizada no transporte público, que por sua vez vai deixar de ser uma das áreas poluentes e que comprometem o bem-estar das pessoas”, disse.

O seminário reuniu especialistas suecos e brasileiros da cadeia de valor do biogás para compartilharem conhecimento e discutir as melhores formas de se implementar a cadeia sustentável na Capital. O encontro teve em sua programação workshops, painéis e palestras, além da apresentação de um ônibus da Scania movido a biometano.

O IVL (Instituto de Pesquisa Ambiental da Suécia) participou do evento com apresentação acerca da experiência do país nórdico na implementação de uma cadeia de biogás no transporte público. Representando o Estado, o diretor-presidente da Cegás, Hugo Figueiredo, e representantes da Scania falaram dos avanços no uso dessa inovação no Brasil.

Fortaleza

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, destacou o exemplo positivo da Suécia que, em pouco mais de 20 anos, utilizou o lixo como fonte fundamental de combustível e energia no país, sendo referência para o mundo em políticas de sustentabilidade. Segundo ele, através de planejamento pactuado entre Governo do Ceará, Prefeitura e parcerias privadas, será possível implementar e ter resultados positivos para benefício da sociedade cearense.

“Além da questão da inovação em si, tem um ganho concreto para a sustentabilidade. Hoje nas cidades do Brasil as duas principais fontes de emissão de carbono na atmosfera são, nesta ordem, transporte público e lixo. Em fazer do lixo combustível para o transporte público, está se ligando as duas principais fontes de emissão de carbono. É algo possível de se fazer aqui. A ideia é que tenhamos pelo menos uma linha de transporte em teste na cidade. Se for mostrada a eficiência, poderemos replicar a experiência”, explicou.

Brasil-Suécia

O embaixador da Suécia no Brasil, Per-Arne Hjelmborn, enfatizou a importância do seminário para incentivar a pesquisa científica e o investimento público na energia sustentável.

“No mundo em que estamos vivendo, tanto no Brasil como na Suécia, temos passado por transformações cada vez mais rápidas e questionado velhos padrões. Com a introdução de novas tecnologias, novos modos de produção, novos produtos e indústrias completamente redefinidas. Neste contexto, o biogás possui um grande potencial. A Suécia possui hoje um dos transportes públicos mais limpos do mundo. O vasto conhecimento científico da Suécia e os incentivos do governo para isso fez com que 90% da rede de gás veicular seja composta por biogás. A substituição foi feita de forma gradativa e com benefícios a todos os setores. É possível fazer essa mudança”, afirmou.

O seminário é parte de uma extensa programação que tem por objetivo promover a Suécia como aliada de longo prazo do Brasil nas áreas de ciência, tecnologia e inovação. Entre os dias 19 e 30 de novembro, a Embaixada da Suécia, em parceria com entidades, instituições e empresas brasileiras, vai articular encontros de profissionais e universitários para discutirem esses temas.
Cegás

Antes da abertura do Seminário, os representantes do Governo do Ceará, da Prefeitura de Fortaleza, Cegás e a comitiva sueca participaram da inauguração do novo prédio da Cegás, como também do Espaço Cegás de Cultura.

Reunião

Após o evento, a vice-governadora Izolda Cela participou de reunião para aprofundar os possíveis acordos de cooperação entre Suécia e o Estado do Ceará nas áreas de Tecnologia, Comércio, Turismo e Educação, além de reforçar ações junto a Prefeitura na área de Mobilidade Urbana.

Para a vice-governadora Izolda Cela, o plano de usar o biogás no transporte público representa uma inovação na preservação do meio ambiente e deve colocar o Ceará como um exemplo para todo o Brasil.

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, destacou o exemplo positivo da Suécia que, em pouco mais de 20 anos, utilizou o lixo como fonte fundamental de combustível e energia no país, sendo referência para o mundo em políticas de sustentabilidade. Segundo ele, através de planejamento pactuado entre Governo do Ceará, Prefeitura e parcerias privadas, será possível implementar e ter resultados positivos para benefício da sociedade cearense.

Para o diretor-presidente da Cegas, Hugo Figueiredo, o seminário vai permitir à expansão do uso de gás natural pelo transporte público.


Fonte: Ceará.gov

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os Comentários desse Site são de Total Responsabilidade do Visitante !
Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria, caso contrario será excluído.