segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

CIAPEM é referência no atendimento a Esclerose Múltipla

Criado em 2009, o CIAPEM é vinculado ao setor de Neurologia do HGF e conta com uma equipe multiprofissional que acompanha em tempo integral 350 pacientes com esclerose múltipla. Na última quarta (04/12) o médico e prefeito de Santa Quitéria, Tomás Figueiredo, visitou o Centro Interprofissional de Atendimento aos Pacientes de Esclerose Múltipla - CIAPEM, na ocasião, Tomás pode conferir o atendimento multiprofissional oferecido aos pacientes.

"Estive no Hospital Geral de Fortaleza e antes o sentimento era de ansiedade, angústia e dúvidas em relação às doenças neurológicas, cheguei a cogitar ir para São Paulo pensando que no nosso estado ainda não tivesse um Centro Especializado com tamanha assistência, profissionalismo e compromisso com o bem estar do paciente. Então, tive o prazer de conhecer o Centro de Esclerose Múltipla do HGF, que conta com profissionais das mais diversas áreas da saúde como Médicos, Enfermeiros, Fisioterapeutas, Psicólogos, Terapeutas, Técnicos em Enfermagem compromissados em da suporte para os paciente portadores de doenças crônicas que acometem o sistema nervoso central. Gostaria de parabenizar a toda à equipe em nome do Dr Arthur D´Almeida, Dra Gabriela Joca e Dr Lucas Silveste por se dedicarem a ajudar por meio do Dom que Deus vos deu, o Dom da medicina. Ressalto ainda a importância do investimento em pesquisas de novos medicamentos, para fornecer uma melhora qualidade de vida para os pacientes. Peço ainda bons olhos do Secretário de Saúde Dr Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho para que este Centro possa continuar a ser referência no nosso país."Afimou Tomás Figueiredo.

Centro Interprofissional de Atendimento ao Paciente de Esclerose Múltipla

Atualmente, a equipe é composta por 19 profissionais das áreas de Neurologia, Enfermagem, Nutrição, Farmácia Ambulatorial, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Neurorradiologia, Odontologia, Neuropediatria, Farmácia Bioquímica e Psicologia.

De acordo com Artur D'Almeida, fundador e responsável pelo Centro, a melhor forma de atender um paciente é com um grupo interdisciplinar, já que a doença tem repercussão em várias partes do corpo. "Quando ocorre alteração cognitiva, o psicólogo dá assistência; parte dos medicamentos são injetados pelo paciente e a enfermagem ensina a maneira correta de aplicar; a nutrição auxilia nas mudanças de hábitos de vida. O médico sozinho não é capaz de ter todas essas informações que as outras áreas tem", explica.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os Comentários desse Site são de Total Responsabilidade do Visitante !
Seu comentário precisa ter relação com o assunto da matéria, caso contrario será excluído.